Renata Cruz _ artista visual | Vila Madalena, SP

Renata Cruz abriu a porta do seu ateliê no alto da Rua Fidalga na Vila Madalena chamando atenção para o pôr do sol alaranjado que São Paulo oferece. Naquele momento já pudemos sentir como seria a visita, com muita calma e atenção aos detalhes.

A sala da Renata tem Bach como trilha sonora e diversos desenhos na parede.  Começamos a olhar os desenhos que também se espalham pela parede da cozinha, todos de uma imensa qualidade técnica. Mas o que mais chama atenção do trabalho não é o desenho em si, mas o que ele representa. Através do desenho Renata cataloga a vida. Em um trabalho cataloga um objeto por dia, outro Igrejas com trabalhos de artistas,  nos que estão na cozinha ela desenha páginas imprescindíveis na vida de pessoas próximas a ela. As páginas não estão inteiras, mas são retratos de uma passagem, de uma parte de um livro que marcou alguém.

Sentamos todas na cozinha e a artista começou a preparar um chá. O momento parecia ritualístico, de uma delicadeza oriental.  Renata nos conta sobre seu trabalho das páginas, o define como uma colagem, juntando mundos que não estão juntos. Principalmente textos  que não necessariamente conversam com a imagem. O desenho é, para Renata, o filtro estabilizador. Através dele consegue parar e resgatar o tempo, mudar a sintonia, como se entrasse em um mundo paralelo. O que me chama mais atenção é essa qualidade do desenho, a da pausa, que parece permear o trabalho das duas artistas que visitamos antes e trabalham com essa mídia. (Laura Gorski e Renata De Bonis). O desenho como a materialização do olhar, quase sagrado.

Renata cita o poeta argentino Jorge Luis Borges diversas vezes durante a conversa, diz que o escritor dedicou muito mais tempo de sua vida a reler do que ler coisas. O trabalho da Renata me pareceu isso, sua releitura do que é sagrado para os outros, as Igrejas retratadas em seu atelier, as páginas desenhadas na cozinha. Tudo muito emocionante, especialmente por que começamos a lembrar quais foram as páginas imprescindíveis em nossas vidas, fazendo-nos reviver memórias de quando descobrimos a leitura.

Mais info: http://www.renatacruz.net

Fotos: Leka Mendes
Texto: Priscilla Nasrallah